Ir para conteúdo principal
Ir para conteúdo principal Logotipo Guaporé
conteúdo do menu
Conteúdo Principal conteúdo principal

São ações desenvolvidas pela própria Secretaria Municipal da Saúde, como também através de parcerias institucionais e governamentais, com o intuito de ampliar as ofertas de saúde na rede pública de serviços à comunidade. Os programas buscam atender diversas necessidades locais, dessa maneira qualificando e ampliando a atenção básica à saúde, promovendo, prevenindo, orientando, avaliando, acompanhando, apoiando e oferecendo acessibilidade de serviços específicos.  

 

CONSULTAS OFTALMOLÓGICAS: 

Programa do Governo do Estado em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde que oferece consultas oftálmicas para os usuários do SUS. Nossa referência para o serviço é o Hospital São João Batista em Nova Prata/RS.

 

PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL:

Consiste em ações desenvolvidas pelo Município que objetivam a promoção e a prevenção da saúde bucal dos munícipes, contando com uma estrutura de seis consultórios odontológicos onde atuam oito cirurgiões dentistas e sete auxiliares em saúde bucal, distribuídos nas seguintes Unidades Básicas de Saúde: ESF I, ESF Promorar, ESF Triângulo, ESF Nsa. Sra. Aparecida e ESF São José.

 

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA (PSE):

Parceria Municipal entre Equipes de Saúde da Atenção Básica e de Educação, no planejamento, execução e monitoramento de ações de prevenção, promoção e avaliação das condições de saúde dos educandos da Rede Municipal de Ensino.

 

PROGRAMA SESC SORRINDO PARA O FUTURO:

Parceria com o SESC e Secretarias Municipais da Saúde e de Educação, onde são desenvolvidas atividades nas escolas relativas à prevenção e cuidados com a saúde bucal, através de palestras, distribuição de kits com escova, pasta e fio dental, além de uma cartilha de atividades relacionadas à saúde bucal.

                                                                 

PROGRAMA BRASIL SORRIDENTE:

Programa do Governo Federal em parceria com o Município, realizado através da Secretaria Municipal de Saúde, que oferece serviço de próteses dentárias gratuitas para os usuários do SUS.

 

PROGRAMA CRESCER SAUDÁVEL:

Consiste em um conjunto de ações articuladas, a serem implementadas na Rede de Atenção à Saúde do SUS para garantir o adequado acompanhamento do crescimento e desenvolvimento na infância, com vistas a prevenir, controlar e tratar a obesidade infantil. Estas ações abrangem os cuidados relativos à alimentação e nutrição voltados à promoção e proteção da saúde, diagnóstico e tratamento da obesidade; incentivo à prática corporal e de atividade física; e por ações voltadas à mudança de comportamento. Trata-se de uma agenda do SUS onde está necessariamente incluída a realização de articulação intersetorial no território, tendo em vista a intersetorialidade e complexidade dos determinantes da obesidade.

 

GRUPO EMAGRE-SER:

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que a obesidade é um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. As estimativas apontam um crescimento preocupante no número de pessoas obesas. Grupos de emagrecimento são uma forma de se mudar os hábitos alimentares e perder peso de forma sustentável, com muita motivação e apoio de outras pessoas com o mesmo objetivo, sendo responsabilidade do nutricionista formar uma rede de apoio e de educação nutricional, promovendo a prática autônoma e voluntária de hábitos alimentares mais saudáveis.

Por isso, a Secretaria Municipal da Saúde implantou o Programa EMAGRE-SER, ministrado por psicólogo e nutricionista. A nutricionista orienta os participantes quanto à reeducação alimentar, ao emagrecimento saudável e a manutenção do peso ideal. Palestras referentes à alimentação e como se relacionar com a comida também fazem parte. Já a psicóloga trabalha os pensamentos, sentimentos e comportamentos que envolvem todo o processo de perder peso através da terapia cognitivo-comportamental. Durante a terapia, a pessoa aprende a lidar com a ansiedade, tristeza, estresse e culpa; aprende a organizar melhor sua rotina, a compra de alimentos e refeições. Durante o processo terapêutico, a pessoa deixa de esperar que a dieta faça “milagres” e começa a se responsabilizar pelos seus atos de comer, tomando para si o controle da dieta e dos exercícios.

 

PROJETO DE ATIVIDADES FÍSICAS:

O Projeto busca promover práticas corporais e atividades físicas, contribuindo para melhorar o nível de independência e aprimoramento das qualidades que permitem realizar com conforto as atividades de vida diária, também melhorar e manter as capacidades físicas e funcionais, além do condicionamento, conscientizando a respeito da importância de uma vida ativa e saudável. Proporcionando ainda momentos de socialização e convívio social, melhor interação para desenvolver atividades culturais e recreativas e envolvimento em atividades que potencializem um envelhecimento ativo. 

 

GRUPO DIABÉTICOS INSULINODEPENDENTES:

Ações realizadas pela nutricionista do NASF – Núcleo de Apoio à Saúde da Família, que contam com a participação de uma equipe multiprofissional, com reuniões periódicas e entrega de medicamentos, tendo como finalidade específica orientar e educar a população sobre o Diabetes Mellitus, prevenção, causas, cuidados e consequências.

 

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO:

O Ministério da Saúde, por meio do Instituto do Câncer (INCA), lançou o Programa Nacional de Controle do Tabagismo, com o objetivo de ajudar os participantes a pararem de fumar, fornecendo-lhes todas as informações e estratégias necessárias para direcionar seus próprios esforços nesse sentido. Ele consiste de uma abordagem ativa e pragmática, em que os participantes são incentivados a aplicar o que aprenderam com o Programa em outros aspectos da sua vida.

Consiste de 4 reuniões de uma hora e meia, uma vez por semana, por um período de 4 a 5 semanas, realizadas na Unidade Básica de Saúde com equipe capacitada para atuar nesses encontros, formada por uma médica, assistente social e psicóloga. Primeiramente os interessados passam por uma avaliação clínica, na qual será avaliado seu nível de dependência e a necessidade do uso de medicação, com posterior encaminhamento a grupos de terapia cognitivo-comportamental caso for necessário.

 

GERENCIAMENTO DE USUÁRIOS COM DEFICIÊNCIA (GUD):

Programa do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, executado pela Secretaria da Saúde do Município, para as áreas da deficiência física e mental.

 

CATARATAS ZERO:

Convênio firmado pela Administração Pública Municipal, com o objetivo de disponibilizar, através da Secretaria Municipal da Saúde, a realização de cirurgias de cataratas para usuários do SUS.

 

SAÚDE PRISIONAL:

Programa que assegura o atendimento médico, farmacêutico e odontológico às pessoas presas. A Política Estadual de Atenção Básica à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional, no âmbito do SUS, tem por objetivo garantir o acesso ao atendimento integral à saúde em nível de atenção básica às pessoas privadas de liberdade, seguindo as diretrizes da PNAISP. Assim, o RS é considerado pioneiro no Brasil no processo de municipalização e de co-financiamento de Equipes de Atenção Básica - prisional (EAB p). Trata-se de uma proposta inovadora na perspectiva da integralidade e da equidade em saúde, que produz consequências para além do cuidado de saúde, com o fortalecimento das redes de saúde e da atenção básica do território, bem como com ressonâncias nas políticas sociais envolvidas no retorno do cidadão à sociedade.

A municipalização da assistência à saúde da população prisional, no âmbito da atenção básica, segue as diretrizes da Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) (BRASIL, 2011) e PNAISP, as quais estabelecem que cabe à gestão municipal a coordenação do cuidado; o gerenciamento dos recursos instalados em seu território; a responsabilidade pela garantia de acesso da população aos serviços de saúde. No Município os apenados contam com todo o atendimento necessário, tais como consultas médicas e dentárias, exames, medicamentos, entre outros.

 

NASF:

Os Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) foram criados pelo Ministério da Saúde, em 2008, com o objetivo de apoiar a consolidação da Atenção Primária no Brasil, ampliando as ofertas de saúde na rede de serviços, assim como a resolutividade, a abrangência e o alvo das ações.

Atualmente, regulamentados pela Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011, os núcleos são compostos por equipes multiprofissionais que atuam de forma integrada com as equipes de Saúde da Família (ESFs), as equipes de atenção primária para populações específicas e com o Programa Academia da Saúde.

Esta atuação integrada permite realizar discussões de casos clínicos, possibilita o atendimento compartilhado entre profissionais, tanto na Unidade de Saúde, como nas visitas domiciliares; permite a construção conjunta de projetos terapêuticos de forma que amplia e qualifica as intervenções no território e na saúde de grupos populacionais. Essas ações de saúde também podem ser intersetoriais, com foco prioritário nas ações de prevenção e promoção da saúde.

A equipe é composta por profissionais de diferentes áreas de conhecimento, tais como assistente social, psicóloga, educadora física, nutricionista, farmacêutica, fisioterapeuta e clínico geral.

Atividades desenvolvidas pelo NASF: discussão de casos em reuniões semanais, atendimentos compartilhados, atividades coletivas compartilhadas, atendimentos individuais dos profissionais e discussão com a ESF, ações de educação permanente, visitas domiciliares, trabalhos em grupo articulado de modo intersetorial com a Secretaria de Educação, entre outras.

 

PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA (PMAQ):

Parceria com o Ministério da Saúde, através do Departamento de Atenção Básica, com vistas no fortalecimento das equipes de saúde da família.